« Lamentável | Main | Tadinho... »

Hawking

Ontem a BBC apresentou uma dramatização da juventude do cientista-físico-matemático-teórico-gênio Stephen Hawking. Muito bem produzido, o drama é envolvente não apenas pela biografia em si, mas pela excelente atuação do protagonista Benedict Cumberbatch .

Nascido em Oxford, Hawking entrou para a Universidade de Cambridge para estudar cosmologia depois de ter se graduado com honras em Ciências Naturais. Em sua carreira, fez inúmeros estudos sobre as leis naturais que governam o universo até ao ponto de comprovar como as Leis de Einstein chegam à Teoria do Big Bang e do Buraco Negro. Esse resultado foi a mais importante descoberta de todo o século 20.

No entanto, mais que seus esforços na área teórica e científica é ver Hawking lutando, desde seus 21 anos, contra a síndrome degenerativa que vem limitando cada vez mais seus movimentos musculares, sua fala, sua liberdade. Porém, não há síndrome que impeça de exercer um dos mais brilhantes cérebros do nosso tempo.


4 Comentários

Oi Marcia,
Estranha essa cumplicidade q se cria ao acompanhar seu blog...Sinto como uma gde amiga q nunca tive a oportunidade de conhecer. Mas como uma amizade dou uma passadinha p/ dar um oi(!)
A estoria de Hawking serve como um grandioso exemplo! Qtas vezes nos impomos limites...Minha deficiencia auditiva costuma ser "o" obstaculo p/ desenvolver o meu ingles...Exemplo simplista, mas de coracao!
Um beijo gde!

Tanto há para cada pessoa. Tanto há para viver. Tanto há para sorrir. Tanto há...porém só vemos a luz quando estamos na escuridão.
Vidas que são exemplos.
Uma semana linda pra voce. Estava sumidinha mas voltei. Apareça.

Realmente ele nos da uma licao de vida...
Ah, que chat oficar sem ovo! Eu sei com os ovos sao caros e sem graca por ai. Tente fazer o seu no ano que vem ( e do Martin tambem!) Sua irma pode dar as dicas.

Marcinha

Assisiti ao filme Uma mente Brilhante com o Russel Crow. Um cientista, homem muito inteligente, enfrentava um problema muito grave, com a esquizofrenia. Ele via personagens que não existiam na vida real e isso trazia complicações enormes pra ele. Fiz um paralelo desse filme com o Sexto Sentido, no qual o personagem do menino via pessoas que já morreram. Achei muito interessante que enquanto um explicava o fenômeno à luz da espiritualidade, o outro explicava à luz da psiquiatria. De qualquer forma o personagem de Uma Mente Brilhante fez um esforço enorme pra não tomar as drogas e assim mesmo superar as suas dificuldades, retomando a sua vida de grande cientista. Foi essa a relação que fiz quando li o seu post.