« Londinium | Main | Muitos chefes em minha cozinha »

Referendum

Durante esta semana o que mais se ouve e se lê nos noticiários é sobre a votação popular para a implementação de uma constituição da Comunidade Européia. Blair, que sempre foi contra, de uma hora para outra deu para apoiar a votação, arriscando mais uma vez sua carreira política.

Ao trazer a decisão do voto para a população, Tony Blair estaria garantindo alguns votos nas eleições em 2005. Na verdade ele pouco está interessado na opinião da população e sequer está preocupado nas implicações que uma constituição entre diferentes culturas pode trazer para a nação.

A maioria dos jornais está alertando para o fato de que é claro que a sua decisão de fazer um plebiscito é para seu benefício próprio. Resta saber o que vai acontecer se o resultado das eleições for um grande NÃO.

Para que a constituição seja ratificada é preciso que todos os 25 países da Comunidade Européia aprovem. Estamos nos primeiros passos desse processo e um plebiscito não vai fazer muita diferença para os muitos debates e emendas que o tratado ainda vai ter. Mas seria o primeiro passo para uma campanha eleitoral de Blair.

Malandro. :p


7 Comentários

Pois é, e o Blair vai precisar de toda ajuda que puder, essa do Iraque queimou o filme dele legal...mas ele se beneficia do fato de praticamente não ter concorrência, a não ser dentro do partido (o Gordon Brown tá de olho na cadeira dele!)
O ruim dessas coisas aí é que a imprensa é muito manipulativa, principalmente os jornais do povão tipo The Sun e Mirror. Eles adoram mexer com a cabeça dos ingleses com sentimentos xenófobos anti-europeus, para atender os interesses pessoais principalmente do Sr Murdoch. Ora, se a Inglaterra é membro do EU, deve ratificar a constituição.
Ficar fora do Euro beneficiou muito a Inglaterra, pois eles possuem uma economia mais forte do que a da Eurozona, mas não sei por quanto mais tempo eles podem se isolar assim.
E malandragem na política tem em qualquer lugar ;-)

Olha, Marcia, eu sempre admirei a UE. Achava que era perfeita, que só trazia benefícios. Não é bem assim. Os países mais ricos têm que dar carona aos mais pobres e com a entrada de mais uns 10 países (como a Romênia!!!!!!!!!!), acho que pode colocar em risco o "bom andamento" da UE.
Quando soube da Constituição vi logo que não seria uma boa. Há muuuitas diferenças entre os países e unificar os ideais não será fácil. Acho que cada país tem que continuar com a sua autonomia. Unificação da moeda tudo bem, mas constituição não. Até lembro de uma discussão sobre religião. Claro que Portugal queria que constasse a católica. Mas e a Inglaterra? Anglicana? Constaria que as pessoas têm liberdade de culto e clero? Sei não...ainda vai dar muito caroço nesse angu!
Beijos, Marcia, a Princesa da Martinica

Marcinha, aqui está a maior discussão sobre isso. Os suecos estão exaltadíssimos, dizendo que o Blair mudou de idéia etc. Tivemos um plebiscito ano passado aqui sobre a adocão do Euro, lembra? Foi rejeitado. Agora querem que se arme um novo plebiscito igual ao que o Blair quer fazer aí em UK. Eu me sinto tão por fora dessa discussão - por não ser sueca - que nem sei. Mas acho importante termos uma voz na direcão das leis, não é? A Suécia estava querendo adotar "regras de transferência" para os novos países que entrarão na União Européia agora dia 1 de maio. O primeiro ministro queria que o parlamento reduzisse a possibilidade de poloneses, húngaros etc conseguirem fazer parte do wellfaire sueco. Mas os outros partidos não querem aceitar. Aqui é tudo trocado: o primeiro ministro é socialista e quem está contra essas regras malucas são os partidos de direita. Uma coisa.

Marcia-SP, desviar a atenção do Iraque para essa bobeirinha do plebiscito também é uma das outras malandragens do primeiro ministro. Eu também tenho HORROR de artigos xenófobos dos tablóides. Mas críticas sobre esse U-turn do Tony Blair estão sendo divulgadas em jornais de respeito, como o Financial Times e até mesmo o Daily Telegraph que era sempre a favor do governo. Eu acredito que a UE está virando uma bagunça econômica, mas acho que uma constituição única pode ser perigosa e prejudicial para muitos países, já que temos muitos extremos. Acho que deveria haver regras e tratados em prol da união, mas constituição é do povo, e daí cada um no seu cada um.

Marcia-da-Martinica, concordo com você, a unificação tem muitos prós, mas daí a se fazer uma constituição única é extremamente complicado.

Mary, eu sou bem a favor que a Inglaterra não adote o Euro porque a Libra atualmente está bem mais forte e mais confiável. A Irlanda estava na mesma situação quando adotou a nova moeda e hoje acaba pagando pelas conseqüências. A discussão aqui está pegando fogo, mas grande parte da população quer mesmo saber quem é que é a nova amante de David Beckham! :p

Marcia,

Ce cridita que seu blog ficou "fora"por uns dias por aqui...Nao entendo nada de computer, mas q nao tava rolando isso posso garantir...
Que bom que tudo normalizou e agora voltei a ter todo tipo de notícia!
Um beijao
Aline

É, isso é complicado mesmo...para ser sincera peguei o bonde andando dessa discussão (aqui no Brasil não se fala muito disso, nosso noticiário internacional quase sempre quer dizer americano), então essa constituição seria algo que substituiria as constituições dos paises europeus, ou seria algo que apenas ratificasse as leis comuns dos estados-membros? Se for a segunda opção, ainda sou a favor, pois acho assim, ou você faz parte de um grupo ou não faz...agora se for a primeira, sou contra, até porquê a Inglaterra nem tem Constituição escrita e isso causaria uma confusão danada.
Agora quanto ao Beckham...também, andando com o Ronaldinho, não podia dar em outra coisa, ha ha ha !

Poxa, amei seu blog! Achei por acaso e li quase tudo! Bjos