« Delicatessen e TV | Main | Mini Foods »

The Song that Rocked the World

"It's Christmas time
There's no need to be afraid
At Christmas time
We let in light and we banish shade
And in our world of plenty
We can spread a smile of joy
Throw your arms around the world
At Christmas time
"

Acabamos de assistir a um especial da BBCThree (êêêêê, viva à TV via Peneirão!!!), sobre o projeto Band Aid nos idos 1984. Quase não acredito que já faz 20 anos que a reunião dos maiores artistas pop dos anos 80 para arrecadar fundos à Ethiopia aconteceu em UK. Me lembro TÃO bem, mas tão tão bem de como AMEI a idéia, o projeto, a música Do They Know it's Christmas?, o compacto que comprei com meus poucos trocadinhos poupados com muito custo, meus grandes ídolos todos ali juntos cantando para o mundo que havia uma porção de gente morrendo de fome do lado de fora da sua janela.

"But say a prayer
Pray for the other ones
At Christmas time it's hard
But when you're having fun
There's a world outside your window
And it's a world of dread and fear
Where the only water flowing
Is the bitter sting of tears
And the Christmas bells that ring there
Are the clanging chimes of doom
Well tonight thank God it's them instead of you
"

O especial Band Aid - The Song that Rocked the World foi bastante emocionante. A grande maioria dos artistas que participaram deram seus depoimentos, todos tão mais velhos (assim como eu também estou), mas ainda muito tocados com o que significou fazer parte daquela caridade.

"And there won't be snow in Africa
This Christmas time
The greatest gift they'll get this year is life
Where nothing ever grows
No rain nor rivers flow
Do they know it's Christmas time at all"

Bob Geldolf (o idealizador de tudo e um ser humano que respeito muito pelas idéias que defende com dentes e unhas), Sting, Bono Vox, Simon LeBon do Duran Duran, John Taylor também do Duran Duran (e naquela época eu o achava o homem mais lindo do mundo), Paul Young (ainda vivo, diga-se de passagem), George Michael (naquela época, o segundo homem mais lindo da Terra), Boy George (o primeiro gay que conheci na minha vida, hohoho), além de Phil Collins, Spandeau Ballet ("i know this... might be... truuuue")... Céus, eu não conheço absolutamente ninguém dos atuais Top of The Pops, mas damn eu conheço esses todos de 20 anos atrás!!! Hohoho.

"(Here's to you) raise a glass for everyone
(Here's to them) underneath that burning sun
Do they know it's Christmas time at all?"

Enfim, foi ótimo relembrar dessa época. Em uma semana o Band Aid arrecadou mais de 1 milhão de Libras. Mas mais importante que isso, eles abriram os olhos de boa parte do mundo para o que acontece em países miseráveis numa época de repressão, de ditadura, de Margaret Tatcher, de ausência de Internet, de falta de liberdade em muitos cantos do planeta.

Fizeram a diferença, salvaram muitas vidas. Um dos idealizadores do projeto, Midge Ure, voltou à Ethiopia, no mesmo lugar onde antes havia os campos de concentração em que as crianças desnutridas morriam a cada segundo, um quadro desesperador e triste. Ainda há muita miséria por lá, mas a diferença é enorme. Ure encontrou com as mesmas famílias que havia conhecido na época, hoje morando em casas humildes mas com mais dignidade, comida na mesa, crianças brincando pelos campos verdes já com doze, treze anos de idade, quando antes não sobreviviam nem o primeiro ano. O país ainda está longe de estar bem, mas ao menos não é aquela imagem tão desconcertante de antes.

Inúmeras outras entidades de caridade surgiram depois dessa bem-sucedida empreitada, ajudando não apenas à Ethiopia, mas Serra Leoa, Uganda, Angola, Afeganistão, Iraque, entre outros países necessitados, inclusive é claro, regiões do Brasil.

Valeu sim, muito a pena ter cantado com eles:

"Feed the world
Let them know it's Christmas time
Feed the world
Let them know it's Christmas time again
"

:o)


11 Comentários

Homem? O George Michael? *hohoho* Brincadeirinha. Só eu mesma pra ler um post sensível desses e vir com piadinhas gays. Foi mal! No mais: o George era bonitão mesmo e atitudes solidárias são realmente muito louváveis.
457 bisous,
Crau.

Queridoca, sabia que eu nunca descobri que o Freddy Mercury era gay até que ele morreu de AIDS? Eu hein... onde estava com a cabeca... HOHOHO. Beijocas.

Márcia, realmente foi algo marcante na música e meu compacto tá lá em casa, em lugar de honra na estante. E o John Taylor, sim era o homem mais lindo da Terra. E o Nick Rhodes também, eu era Duranie fanática !!! E o legal é que o que é bom continua sendo bom... Outro dia ouvi um cd do Duran Duran, dos velhos tempos e curti muito.
Um abraço !

que blog lindo voce e sensivel inteligente e muito talentosa to acompanhando seu blog desde o comeso faz parte dos meus favoritos ....muita paz e felicidades pra voce ....beijus...iza

ainda entro com uma ação contra o george michael por ter enganado meus hormônios na adolescência! ;)

e emocionei com seu blog e me lembro daquela epoca muito bem .Maria

Foi bom saber do que você escreveu. Ah, isso me lembrou de fazer uma pesquisazinha sobre a Etiopia. Minha filha esta estudando inglês com um menininho cuja mae vem desse pais e eu nao conheço nada de là. Ela me mostrou o alfabeto que eles têm e eu perdidinha.

Muito doido este teu blog... Donde ce escreve ??? Ce esta em outro pais, não eh ???? Muito bom saber que existe vida inteligente na blogosfera ...

Ai Má!
Me arrepiei lembrando dessa música.
Eu tenho o clip aqui no micro.

Acho a letra fabulosa e foi a primeira iniciativa, copiada depois pelos americanos com o "We are the World". E bem mais tarde, pelos latinos, com "Cantaré, cantarás". :-P

Eu sou Balzac mesmo, fazer o quê.
O Bono tinha mó cara de novinho.

E tem outro gay lá no meio, da própria banda do Boy George, aquele baterista moreno de olhos azuis que é um CHARME e aparece numa cena rapidinho tocando "maracas". :-P

Aqui toca no rádio todo ano perto do natal. `
AMO Boy George! ;)

lembro bem da música e do clipe.
bom saber que as coisas melhoraram pelo menos um pouquinho por lá...