« Sakura | Main | Water & Compost »

Death by Ice Cream

No Brasil, nos idos e sepultados anos 80, havia um outra moda além das ombreiras e roupas de cores cítricas. Era uma moda de fazer uma certa receita de sorvete "caseiro" que levava uns ingredientes estranhos, de nomes esquisitos e que nem eram vendidos no supermercado. Emulsificantes (hã?), pó de sabor (hein?), liga neutra (come again?). E como era de se esperar com tanta tralha artificial, o sabor era duvidoso, a textura era uma desgraça e o trabalho e os custos não justificavam.

Desde aquela época eu jamais tive vontade de fazer sorvete em casa. Tão mais fácil comprar um potinho pronto. Há alguns anos, porém, uma certa curiosidade aguda me atacou, muito provavelmente por conta dos inúmeros foodblogs que leio. Quase todos fazendo seus sorvetinhos em casa. E quase 100% deles usando o mesmo livro e as mesmas receitas, de um autor que também é blogueiro, David Lebovitz. Fiquei morrendo de vontade de provar um verdadeiro sorvete caseiro, sem absolutamente nada artificial.

Além disso, recebemos de presente na cesta de legumes três favas de baunilhas lindas e perfumadíssimas. Eu queria usá-las para fazer algo bem especial e o sorvete era a oportunidade ideal. Perambulando pelo blog do David acabei encontrando um link que ensina a "fazer sorvete sem máquina sorveteira", perfeito.

Há algumas semanas tentei pela primeira vez. Usei a receita de Stracciatella. Deu tão certo, ficou tão bom, mas tão bom que nos impressionou e nos surpreendeu imensamente. A textura fica tão cremosa, sem nenhum cristalzinho de gelo e sem precisar de nenhum aditivo artificial.

Devoramos o primeiro pote e Mr.M perguntou se eu iria fazer novamente. Respondi que provavelmente sim. E Mr.M, mais enfaticamente, esclareceu que gostaria que eu fizesse logo, o quanto antes, ao invés de mais tarde. Eu não sei do quê a antiga escrava morreu, mas fiz outra vez atendendo a pedidos insistentes e aproveitei pra tirar fotos, que é a parte mais divertida de fazer sorvete.

Quando faço algo pela primeira vez sempre faço meia receita para não desperdiçar ingredientes em caso de fiascão total. Foi uma boa ideia porque nesta segunda vez fiz com creme de leite "light" e não ficou tão delicioso quanto da primeira vez. Mas já acabou rapidinho e agora posso fazer novamente, usando creme de leite full fat.

Para completar o nosso festival Death by Ice Cream particular, hoje meu livro Perfect Scoop chegou e não vejo a hora de tentar outras receitas de sorvete do David.



Poucos e bons ingredientes fazem toda a diferença do mundo



Valiosas sementes da baunilha de Uganda.
Presente da cesta de orgânicos.



Sorvete de baulinha nada mais é que um Custard congelado.



Várias sessões de batedeira pra evitar cristais de gelo.



Assim que começar a ficar consistente...



...é a hora de derramar fiozinhos de chocolate derretido
que vão se solidificar imediatamente.



Basta misturar para quebrar os flocos.
Demorei tanto para acertar a luz e o foco
que o sorvete acabou derretendo mais do que devia aqui.



Stracciatella na casquinha (to keep it jolly).
To Die For.



Stracciatella
Sorvete de Baulinha e Flocos de Chocolate
(Meia receita)

1/2 xícara (chá) de leite
pitadinha de sal
1/3 xícara (chá) de açúcar (usei 1/4 apenas)
1 fava de baunilha OU gotas de essência de baunilha a gosto
2 gemas de ovo
1 xícara (chá) de creme de leite (não use light, nem com soro, nem nada muito aguado; double cream pros britânicos)

1. Numa panelinha, aqueça o leite com o sal, açúcar e baunilha em fogo baixo.
2. Bata as gemas levemente e acrescente um pouco desse leite morno. Junte essas gemas à panelinha com o restante do leite.
3. Cozinhe em fogo baixo mexendo SEMPRE. Use uma espátula de silicone, se tiver, para mexer e raspar todo o fundo. A mistura deve engrossar um pouquinho a ponto de cobrir as costas da colher ou da espátula. Este creme é chamado de custard.
4. Retire o custard do fogo, retire a fava de baunilha. Numa tigela grande, coloque o creme de leite e uma peneira grande por cima.
5. Agora atenção: com uma mão você segura a peneira sobre o creme de leite, com a outra mão você despeja o custard na peneira e com a terceira mão você mistura bem os dois cremes.
6. Coloque a mistura num recipiente que caiba no seu freezer e leve para congelar.
7. Depois de 45 minutos, leve a mistura na batedeira ou num mixer e bata por alguns minutos (se não tiver nada disso, use um batedor e força nos braços). Coloque a mistura de volta ao recipiente e volte a congelar.
8. Repita o processo a cada 30 minutos (um timer ajuda) por 2 ou 3 horas (4-6 vezes) até ficar com consistencia bem cremosa de sorvete.
9. Derreta uns pedaços de chocolate no microondas, pegue colheradas e derrame no sorvete desenhando fiozinhos. Misture quebrando os fios e leve para congelar pela última vez antes de servir.
10. Retire o sorvete do freezer uns 10 minutos antes de servir porque o sorvete caseiro fica mais sólido que o comercial.



23 Comentários | Deixe um comentário

O espaco que uma das partes da máquina de sorvete ocupa no freezer é muito grande, e assim nunca quis investir em uma. Por isso adorei a receita que você achou, vou experimentar também! Muito fofo esse passo-a-passo. E adorei o sorvete na casquinha :o)))
Beijos, Angie

Oi Marcinha;
é minha mãe fazia mesmo o tal sorvete caseiro nos anos 80, e usava liga neutra e emulsificante e pó de sabor tbm.
Eu era apenas uma criança e para mim parecia a coisa mais deliciosa do mundo,até pq não tinhamos dinheiro para comprar melhores e então eu nem tinha como comparar.
Obviamente esta é a opinião de uma pobre criança sem parâmetros, é contestável e duvidosa...hahaha
Mas depois de ver essas suas fotos e esta receita tão mais simples...
Ai Ai que sorvete que nada arece um manjar dos Deuses ...
Está lindo e sem duvidar nem contestar aposto que está tbm delicioso.

Parabéns!
Um beijo

Sempre leio seus posts, muitas vezes tive vontade de comentar...hoje não resisti, pelas recordações que me trouxe: Essa era a maneira como se fazia sorvete em casa nos idos 1950, quando a geladeira e o leite condensado começaram a se popularizar. Mas minha mãe encarava aquele tira do congelador e bate sorvete, como uma enorme trabalheira, embora o resultado final compensasse muito. por isso pareceu uma revolução fazer sorvete usando aquelas químicas todas. Para voce matar saudades, estou te mandando a receita de Chicabom da minha mãe. Espero que goste.
Abraços

Alice

Receita de Chicabom da Mamãe:

1lata de leite condensado; idem de leite de vaca; 1 ½ colheres de chocolate; 1 gema.
Leve os ingredientes a ferver. Depois de frio coloque na forma de gelo e leve ao congelador. Bata no liquidificador depois de 2 horas. Repita pelo menos mais uma vez. Retorne ao congelador até a hora de servir.

Infelizmente rende pouco, a receita é uma variante do brigadeiro; mas achavamos igualzinho ao da Kibom (que ainda não era vendido no interior).

Eu, ainda criança, fazia aqueles sorvetes pavorosos! Lembro-me de comprar emuldificante numa distibuidora...

Também nunca pensei em fazer sorvete em casa pela falta de sorveteira e espaço ocupado no congelador. Definitivamente vou testar esta!

Beijo!

Que maravilha um sorvete sem conservantes, tudo natural! Vou testar essa delícia também ;o)

Ah não, eu tentando fazer dieta e você vem com sorvete caseiro, e do meu sabor favorito! O bacana é que não precisa de máquina de sorvete para fazer esse! Talvez eu arrisque, mmm...bjs

quando eu era menina, a minha mãe fazia um sorvete caseiro absolutamente delicioso, com leite gordo (sim, o leiteiro passava na frente de casa com seus latões de leite cru), creme de leite nestlé, leite moça e mais uns ingredientes encontrados em qualquer supermercado. era o melhor sorvete do mundo!

Depois de um dia longo e cansativo vc me fez rir alto com o comentario da "terceira mao"! (obrigada!( Pra mim essa terceira mao sempre faz falta na cozinha...

E eh claro, agora deu vontade de fazer sorvete!

L.

Márcia, li quase todo seu blog, vc é uma guerreira!!!
Super bjo

Obs: Talvez vc não saiba, mais foram tirados os acentos das palavras paroxítonas com ditongo aberto(éi, ói) na nova ortografia. Assim, o correto agora é: ideia.

Marcia, eu tb guardei a baunilha da caixa de vegetais hehehe a espera de algo muito especial pra usa-la, eu mesma fico me chamando de Nono (aquele personagem suvina de uma novela de nao sei qdo). Acho que acabei de descobrir onde usarei minhas lindas favinhas perfumadas!! Obrigada!

Oi Marcinha! Sao 8 horas da manha e eu já morrendo de rir com a terceira mao, heheh que engraçadinho!! Ah! e logo logo de certo teremos receitas de torta quente de maças fresquinhas com sorvete caseiro de baunilha...hum que delícia!!! beijos e bom fim de semana!

"Emulsificantes (hã?), pó de sabor (hein?), liga neutra (come again?). "

Destaque máximo para as lembranças da década de 80. Você me fez viajar no tempo. Minha mãe era a rainha das receitas fracassadas, pois, depois de não encontrar um dos produtos raríssimos que você mencionou, ela sempre fazia umas substituições bizarras que tornam o seu creme de leite light brincadeira de criança.

Oi, querida. Ontem fizemos um jantar, meu marido e eu, e arriscamos o seu profiterolis. Ocorre que ele ficou FLAT FLAT FLAT!!! Onde erramos, vc acha??? No final deu tudo certo, servimos com sorvete de creme, porto, e as pessoas gostaram - nós só não mencionamos a palavra "profiterolis", que causaria muita polêmica, pela notória diferença de formato entre eles e aquilo que servimos nos pratos das pessoas, timidamente escondidos sob o sorvete de creme. Alguma luz? Beijo, obrigada, parabens pelo blog, saudades do waitroses. Roberta

Lindo, Márcia!
Vou tentar tb...

Só fiquei com uma dúvida: esse creme de leite equivale ao creme de leite de garrafa (fresco) ou pode ser o creme de leite de latinha (aqueles da Nestle)??

Amanda, o creme que eu uso aqui é fresco, mas com consistência do de latinha da Nestlé, bem grosso. Se você for usar o de lata, retire o soro antes. Quanto menos água, melhor, forma menos cristais de gelo. Eu não sei se dá certo, nunca tentei fazer este sorvete no Brasil. Se der certo nos conte.

Daqui a pouco voces vao abrir uma sorveteria, rs
bjs, Cris

Oi Marcinha.
Adoro te "ler" e sei que teu blog é diferente... mesmo assim te indico um selinho.
Passa no Com sal e dá uma olhadinha. Vou ficar muito feliz.
Beijossss

Obrigada, Marcinha!

Acho que vou tentar amanhã (aproveitando o feriado)... =)

Oi, Márcia, aproveite e faça
extrato de baunilha c/as fa-
vas q. recebe e nunca mais
usará essência artificial:
3 favas abertas, 1 garrafa
de 1/2 litro de vodka.Colo-
que as favas na bebida, feche
bem, guarde num lugar escuro
e sacuda o vidro de vez em
quando. Com 1 mes já pode co-
meçar usar (mas não deixe de
sacudir de vez em quando).
Quando começar esvaziar colo-
que mais 1 fava e complete
com a bebida. Dura anos e é
uma delícia! Comprei uma sor-
veteira e faço sorvete de (quase) tudo!Bjs Glaucia

Nossa, eu fiz essa receitinha, mas perdi a paciencia pra bater mtas vezes, só bati depois de 40 minutos, coloquei o chocolate e esperei endurecer pra devorar. Talvez não tenha ficado tão cremoso, mas ficou booooom. Muito, muito bom. Parabens Marcinha! Ah, amei amei amei o custard, quase que comi ele sozinho antes de bater com o creme de leite hahaha. Passa mais receita com custard! Beijão.

Meninas lindas,

Buscando receitinhas de sorvete caseiro, deparo-me com este singular arsenal de nobres sentimentos femininos, numa linguagem deliciosa, A gastronimica!!!
Que celeiro de almas lindas e sensiveis em forma de mulher eh o Brasil.
Nao deixarei mais de me presentar com visitinhaspor aqui...observem os comentarios preciosos da Alice...as minucias da Aline, sem citar o senso de humor sutil e inteligente com pitadas gigantescas, "no ponto"! da autora da pagina...
Beijo no coracao lindo de todas...
Pois mergulhada a anos na frieza impessoal do povo americano, eh em oportunidade impar como esta que sinto ainda mais saudade do nosso aconchegante Brasil...
Paz e luz...
EU volto!

Com tudo isto quiz dizer simplesmente:
Marcia, seu Blog e um trabalho lindo, de extremo bom gosto, sensibilidade e informacoes que acariam e engrandecem a alma!
Parabens!

Deixe um comentário