« One potato, two potatoes, three potatoes, four... | Main | Minestrone on the way »

A road never travelled

Little Miss S já não é mais tão little. E frequentemente ela me lembra: "I'm not a baby anymore, Mum" (note o "Mum" e não mais "Mummy"). E realmente essa observação é correta e cada vez mais presente ao nosso redor. Não temos mais cadeirão, berço, portões de segurança há muito tempo. Quase não usamos mais o carrinho; o assento do carro está no Grupo 3 usando o cinto de segurança do próprio carro. A privada está sendo usada com adaptador e eu ouço a frase "Mum, I've finisheeeeed" várias vezes por dia.

A cama de Miss S agora é tamanho solteiro. Recentemente ela teve seu primeiro corte de cabelo com um profissional e tomou as últimas doses de vacinas infantis.

E por mais que eu tenha tentado evitar pensar em escolas, este ano foi inevitável. Eu sabia que o dia iria chegar, mas preferia não pensar em excesso. Colocamos o nome dela na lista de espera de uma Nursery e finalmente ela foi aceita e vai começar a frequentar no próximo termo (Set-Jul), três vezes por semana.

No início eu estava apreensiva (a palavra bonitinha que traduz freaking the hell out) com a idéia de Miss S ficar entre estranhos, sozinha pela primeira vez na vida dela. Troquei muitos emails com a diretora da Nursery, explicando o caso de Miss S e a ansiedade excessiva que ela sente ao redor de estranhos. A diretora nos convidou para conversar na escolinha. Fomos nós três e assim que chegamos Miss S entrou, tirou os sapatos (!) e começou a explorar os brinquedos.

Conversamos bastante sobre a timidez e ansiedade de Miss S. Eu perguntei se poderia ficar um pouco com Miss S nos primeiros dias até ela se acostumar com o ambiente. A diretora foi sem dúvida muito atenciosa e compreensiva, explicou sobre as expectativas (dos pais e da criança), traçou um plano de adaptação e disse que sim, claro eu posso ficar com ela no começo.

No entanto, eu sei que no fundo tudo o que a diretora precisava mesmo me dizer era: "Cut the cord, bitch. Cut. The. Damn. Cord." Ela não o fez, óbvio. Ao invés disso, ela perguntou a Miss S se ela queria conhecer os animais da escolinha. Miss S arregalou os olhos, segurou na mão da diretora e foi com ela conhecer o Brian, caracol africano. Depois conheceu os porquinhos da Índia, Nibbles & Squeak. E por fim, para o total deleite dela, foi apresentada a dois peixinhos dourados. Tudo isso enquanto eu fiquei na sala preenchendo a papelada. Miss S voltou na sala, eu achei que ela já estava sentindo a minha falta, mas só queria mesmo os sapatos de volta pra ir ao jardim do lado de fora.

Desde essa visita Miss S não fala em outra coisa a não ser que quer ir pra escola. Ela tem repetido várias vezes que da próxima vez ela vai dizer "bye bye to Mummy". Eu continuo com o pé atrás dessa declaração. Amanhã é o dia em que começamos a adaptação, uma hora por dia até começar o ano letivo propriamente. Apesar do combinado, eu vou aproveitar essa oportunidade e realmente tentar dar um beijo, dizer bye-bye e cut the cord. Vamos ver.

É um caminho nunca antes percorrido para nós. E é o caminho dela, sem mim, sem o Daddy.

My little big girl, espero e torço para que você encontre dentro de si a confiança que precisa para desbravar o mundo com suas próprias pernas. Porque há caracóis africanos e porquinhos da Índia para conhecer. E amiguinhos e professores. E lanches e brincadeiras e day trips. É o começo de algo grande, my little miss. Go, sweetheart.

You have brains in your head.
You have feet in your shoes
You can steer yourself
any direction you choose.
You're on your own. And you know what you know.
And YOU are the guy who'll decide where to go.

Oh, the Places you'll go -- Dr. Seuss









Update: E o grande dia chegou. Caminhamos devagar juntas até a escola. Entramos na sala, havia umas cinco crianças já fazendo atividades. A 'tia' dela, Miss D, foi um amor desde o primeiro segundo. Mas Miss S segurou firme na minha mão e apontou pra porta. A 'tia' Miss D tentou distraí-la, mas Miss S continuou apontando para a porta. Achei que ela fosse chorar, que queria ir embora. A 'tia' perguntou se por acaso ela queria que a Mummy fosse embora. Eu ri, né, imagina, que absurdo, claro que não. E pra minha consternação, Miss S agarrou meu pescoço e disse "Bye Bye Mummy". E eu fotografei na memória o momento em que ela largou da minha mão e pegou a mão da tia Miss D e as duas foram fazer algo divertido num outro canto da sala. Eu saí da sala rapidamente, deixei-a na escola, sem lágrimas (dela!). Entrei num café, sentei com uma xícara de chá e contei pro pai dela que se esforçou pra não chorar no escritório. Quando voltei para buscá-la eu vi pela janela Miss S sentada com as outras crianças na mesa, comendo fougasse de alho. Ela estava sorridente, falante, contando pra tia Miss D que ela vai voltar no dia seguinte e no outro e no outro e no outro.

We came a long way, my darling, well done. I couldn't be prouder.



19 Comentários | Deixe um comentário

como ela está linda, Marcia. Parabens!

Me lembrei do primeiro dia de aula da minha filha mais velha. Pensamos que ela ia fazer um escandalo e nao querer ficar, etc. Pois foi toda compenetrada com a tia que veio receber no portao e nem olhou pra tras rs... Um longooo caminho, hoje ja faz faculdade.... Boa sorte a voces nessa nova fase. E um beijinho pra mocinha linda.

Nossa,me lembrei do primeiro dia de aula do meu filhinho que hoje esta com 23 anos,como chorei.Foi tão estranho pra mim deixa-lo na escola e ele ainda me pediu pra ir embora porque ele iria brincar com os coleguinhas,me senti tão solitária tão abandonada.No fundo eu queria que ele me quisesse mais, que chorasse por mim como eu estava prestes a chorar por ele.Depois me acostumei com a separação.
Fiquei tão emocionada com esse post,me lembrei de tanta coisa.Como o dia em que meu filho mais novo (22anos hoje)não quis mais mamar no peito.Nossa como chorei nesse dia.Nunca deixaram de me amar, só que tinham que seguir cada um o seu caminho e fazer suas escolhas.
Miss S cresceu tanto,esta tão linda e tão saudável,parece tão esperta e feliz.Deus a abençoe e que ela tenha sempre muita saúde e seja sempre muito feliz.
felicidades miss S por todo caminho dessa nova etapa de sua vida.

Nao tenho filhos, entao lembrei do meu primeiro dia de aula ha 30 anos atras. Eh um momento especial e marcante na vida da mamae e do papai e da crianca tambem. Parabens Marcia, ela eh linda e tambem confiante!

Ai ai, chorei também. Tenho só um filho, tem 20 anos e está nos USA fazendo intercâmbio desde janeiro deste ano. Não vejo a hora de ir buscá-lo no aeroporto em dezembro! Filhos crescem muito rápido e só podemos ficar rezando para que encontrem seu caminho rumo a uma vida plena e feliz... Sua filhinha está linda, como está diferente, deixou para trás o rostinho de bebe e agora já parece uma mocinha. Tudo de bom pra voces.

Dear Little Márcia;
Acho que será um desafio mais árduo para vc do que para Little Sophie.
Para ela será uma grande aventura, com muitas curiosidades, muita animação, empolgação. Talvez ela tenha que ser corajosa o bastante para enfrentar uma ou outra situação onde o medo esteja presente; ou a insegurança. Mas, ela não só vai crescendo, vai também amadurecendo; e criando asas para desbravar o mundo a fora.
Para vc, que ja sabe tanto do mundo, será difícil ver seu - outrora - bebezinho batendo asas por aí. Primeiro veio a escola, mas ainda virão muitas situações em que seu coração vai se partir por ve-la caminhando para longe.
Mas querida, não se preocupe. O amor que vc dedica a ela desde antes de ela nascer, toda a educação o carinho que vc soube dar como mãe e o exemplo que vc da como ser humano, sempre a manterão por perto. Por mais alto que ela voe, ela sabe que vc estará sempre no ninho aconchegante esperando por ela. Ela saberá dentro de seu coração que vc, dentro ou fora da sala, estará pensando nela, torcendo por ela, colaborando para que sempre tudo dê certo. E se algumas vezes as coisas derem errado, ela virá procurar seu colo, e vc vai ver que por mais que ela cresça e se transforme numa grande pessoa e numa linda mulher; ela será eternamente a sua Little Baby.

Beijos e parabéns pela criança linda que vc tem!!!!
S2 S2 S2

Tão pequenininha e tão corajosa! Agora a mamãe e o papai dela precisam ser corajosos também. Mas tudo dará certo, ela vai aprender muito, vai fazer grandes amigos e no final do dia, sempre voltará para vocês cheia de histórinhas.

Oi, não adianta: separações são sempre difíceis e o serão sempre.Principalmente dos filhos em qualquer situação e a qualquer tempo. Força, amiga, essa é só a primeira e prá dizer a verdade vocês duas foram 10! Bola prá frente, Márcia. Você tem uma legião de fãs que torcem por vocês sempre. bjs

fechei meus olhos e lembrei-me do primeiro dia de aula do meu filho, ele ficou chorando na sala e eu sai chorando, hoje eu imploro para ele ir a escola,kkk
Aproveite ao maximo, eles crescem muito rapido,

Como a Miss S cresceu! Ela está uma graça. Pelo visto o primeiro dia da escola foi um sofrimento para a mãe ...rsrs. E assim mesmo . A partir de agora vc vai perceber que ela vai descobrir o mundo dela.....e nos.....ficamos na retaguarda vendo nossos filhos trilhando seus próprios caminhos.

Que emocionante!
Quanto amor.
Um beijo para vocês e que venham muitos mais primeiros dias!

Marcinha, flor. Eu não sei onde ando com a cabeça, negligenciando a leitura do que realmente importa enquanto mexo com papéis no trabalho. Eu já deveria ter visto esse post de uma semana! Queria dizer da minha alegria em ler sobre Miss S na escola. No dia em que li que ela estava crescendo lindona em sua barriga eu me emocionei demais. Vê-la tão linda na escola é uma coisa imensa. Parabéns a vocês três. Sucesso na caminhada da Sophie - que está sendo tão linda, já, né? Tão rica e cheia de aprendizado. Ela é uma garota de muita sorte por ter vocês a postos para compartilhar a vida com ela. Que seja de luz, sempre. Beijos carinhosos,
Rita

Oi, Márcia!
Muito legal a Sophie já estar na escolinha!
Eu também não tenho filhos, mas tenho mãe. E sei que vocês, mães, nos amam muito e querem ficar conosco o tempo todo. E é daí que vem o erro (que você também cometeu, sorry) de achar que fazemos as coisas sem vocês! "E é o caminho dela, sem mim, sem o Daddy". Sério?? Não pense que porque vocês não vão ficar o dia todo juntas, a Sophie vai fazer as coisas sem você e Mr. M. Porque não vai. Pra quem é que você acha que ela vai contar sobre o dia? Sobre o amigo novo, sobre a criança que roubou o brinquedo dela, sobre o passeio que fizeram?
Ah, Marcinha, seja apenas amiga da sua filha e curta cada fase com ela! Aproveite!
Ela vai ficar bem "sem" você. E o mais surpreendente é que você também vai ficar bem "sem" ela.

Que Linda!
Marcinha, um dia li, num desses livros sobre educação de filhos, uma analogia que eu achei ótima: os pais tem que ser como pit stops da Fórmula 1 para seus filhos - um lugar seguro, onde eles sempre vão ter tudo o que precisam, pra darem suas voltas em segurança.
Muito carinho pra vocês!

Que linda!
Marcinha, um dia desses, eu li num desses livros sobre educação de crianças, uma analogia que eu achei ótima: os pais devem ser para seus filhos como os pit stops da Fórmula 1 - um lugar onde podem encontrar tudo que precisam para dar suas voltas com segurança.
Beijinho e muito carinho para as duas!

acho este post lindo, me emocionei :)

Marcinha, você chorou?!

Quando minha pequena garota foi pra escola chorei, quando foi pra universidade chorei também!

Lendo este post agora chorei de novo!

Miss S está linda!

Beijos


Lembro que. na Faculdade de Medicina, fiz uma cadeira optativa chamada "Neuropsiquiatria infantil". A parte as excessões óbvias, lembro que ali aprendi uma lição. Qua a maioria dos sintomas das crianças, relatados pelas mães, pertenciam na verdade às próprias mães. A mãe que dizia que a menina era muito ansiosa, era a mais ansiosa. A que se queixava que a menina era agressiva, era, guess, a mais agressiva. Interessante, né?

Deixe um comentário